Metadados 05: Um Breve Papo Sobre Metadados e seus Tipos, Funções Atributos e Características

Metadados são informações sobre dados. Veja exemplo abaixo retirado de um arquivo pdf:

O arquivo contém  tags(etiquetas). As tags no caso do carquivo acima são Título, Localização, assunto, autor….  Essas tags possuem valores; como exemplo o valor para a tag assunto é compras. A quantidade de tags é imensa, milhares.

O simples fato de digitalizar ou criar um arquivo não o faz acessível, fácil de ser  encontrado por usuários ou até mesmo o próprio criador. Mas um arquivo bem trabalhado com metadados pode facilmente ser encontrado, buscado e utilizado por qualquer usuário. Metadados possibilita uma forma poderosa de organizar, classificar e indexar arquivos.

Podemos usar campos de pesquisa para buscar arquivos de acordo com critérios, nesse caso abaixo a busca está sendo por data.

Metadados é um termo não muito usado ou conhecido entre usuários finais, usuários comuns. Porém, mesmo esses usuários não sendo profissionais da área de tecnologia, são cada vez mais os maiores criadores de conteúdo, principalmente em redes sociais.

Podemos ver a importância de metadados na organização de arquivos quando imaginamos como uma TV conseguiria dentro de poucas horas juntar trechos de vídeos que foram gravados durante décadas e que falam de um tema específico.

 

Tipos de Metadados

Metadados podem ser do tipo:

  • Administrativo: metadados usados para gerenciar  e administrar informações. Como exemplo temos Direitos Autorais para identificação do proprietários e se há restrição de uso ou reprodução, informação de localização de onde o arquivo foi produzido.
  • Descritivo: metadados usados para descrever e assim facilitar a localização do arquivo. Como descrição podemos ter informações sobre versões, anotações feitas por criadores e usuários do arquivo, dicas de como e onde encontrarmos mais informações detalhadas referentes ao arquivo..
  • Preservação: metadados relacionado a informações de preservação do arquivo. Exemplo, informações sobre o estado físico e ações realizadas com a fim de conservação, versões, atualização e migração do arquivo.
  • Técnico:  metadados relacionados ao funcionamento e comportamento de metadados. Podemos citar como exemplo informações técnicas da digitalização, formatos, taxa de compressão, autenticação e dados de segurança como chaves criptográficas e senhas.
  • Uso: metadados relacionados ao tipo e nível de uso dos arquivos. Podemos citar registros de circulação, exibição de registros físicos e digitais, uso e rastreamento, sistemas de multiversões, los de buscas, metadados de  direitos autorais.

 

Atributos e Características de Metadados

 

  • Origem do Metadado: a origem do metadado pode ser interno e externo. O metadado interno é gerado pelo “agente criador” no momento da digitalização ou criação do arquivo. Podemos listar como exemplo o nome do arquivo, estrutura das pastas, formato do arquivo e compactação. Metadado externo está relacionado a informações adicionadas em um momento futuro, posterior; geralmente por alguém que não criou o arquivo. Podemos citar como metadado externo URLs e declaração digital do origem(proveniência), direitos e informações legais.
  • Método de criação do metadado: a Criação de um metadado pode ser automático ou manual. A criação automático é feita por um computador. O manual é o metadado criado por humanos 🙂
  • Natureza do metadado: o metadado pode ser criado por dois tipos de pessoas, um profissional em metadados ou uma pessoa não profissional.
  • Status: Metadados podem ter diversos estados, são eles: estático(tamanho do arquivo, data de criação, modificação…), dinâmico(pasta onde está salvo, logs), longo prazo(direitos autorais, formato técnico), curto prazo(localização temporário).
    – O metadado estático não muda uma vez criado, ou pelo menos não deveria mudar.
    – O dinâmico muda de acordo com o uso, manipulação ou preservação de um arquivo.
    – metadado de longo prazo é necessário para assegurar que o arquivo continuará acessível e usável.
    – o metadado de curto prazo tem uma  natureza temporária, transacional
  • Estrutura: quanto à estrutura o metadado pode ser estruturado ou não estruturado 🙂 o estruturado procura seguir um padrão ou estrutura proprietária como estruturas pertencentes à formatos local de banco de dados,  MARC, TEI, EAD, CDWA lite.
    Quanto ao metadado não estruturado, lógico, não segue um padrão e podemos citar como exemplo os metadados/tags criados por usuários ao fazer anotações.
  • Semântica: Temos aqui metadados controlados e os não controlados. Controlados por alguma organização e assim seguindo regras de uso no vocabulário, segue algum padrão como LCSH, LCNAF, AAT, ULAN, TGM, TGN, AACR, DACS, CCO. Metadado não controlado podemos citar tags HTML em um site e textos em anotações.

 

Conclusão

Pode parecer um pouco enfadonho tentar entender tipos de metadados, suas funções mas vale a pena quando começamos a entender a importância de metadados no mundo. Esse texto fi baseado no livro “Introduction to Metadata” e esse nele podemos perceber a dimensão de e utilidade de tags e que elas começaram a ser usado a muito tempo atrás quando nem existia computadores. Etiquetar livros em uma biblioteca e criar índice organizado em um livro com detalhes ajuda ao buscar informações otimizando e encurtando bastante o tempo.

No texto acima usei muito o termo arquivo para me referir a arquivos de computadores  mas o texto de onde esse artigo foi baseado usa outro termo que abrange muito mais que o mundo digital, abraça também o mundo físico de onde tudo começou e serviu de inspiração percebermos que jogar o mundo físico no virtual melhoraria rotinas de trabalho.

 

Leitor voraz e um dos administradores do GNU/Linux Brasil no Whatsapp, facebook, youtube e nesse dito site: www.gnulinuxbrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *