Posso Usar Distro de Servidor Como Desktop e Vice-versa?

Obs.: Antes de tudo deixo explícito que o conteúdo abaixo reflete apenas minha opinião e não à do grupo gnulinuxbrasil!

A resposta mais comum dos usuários que usam uma distro de servidor como desktop é: “o mundo linux é livre. as distros são livres, podemos fazer com elas o que bem entendermos“. Bem, isso é um chavão, uma frase repetitiva e sem originalidade. Sabe por quê? Você só pode fazer o que você quiser até onde vai o seu conhecimento e o seu tempo livre! duvido que a maioria de nós, meros usuários, tenhamos o conhecimento de pegar a distro tyne Core, por exemplo, e a deixarmos à nosso gosto para uso diário. Se trata de uma distro configurada para um propósito específico. Despenderíamos muito tempo e requereria conhecimento acima da média.

Qual a Diferença Básica entre Servidor e Desktop?

 

Sabe qual a diferença entre um computador feito para se usar com um Sistema Operacional voltado para servidor e outro fabricado para usar Sistemas Operacionais comuns?  O computador-servidor é projetado com peças/hardware capazes de ficar ligadas 24 horas todos os dias(o famoso 24/7); servidor não é  desligado, mesmo ninguém usando. Um computador-desktop para usuário final, é feito para ser usado e desligado todo dia, seu hardware tem vida mais curta.

Um outro ponto importante é que programas de desktop priorizam velocidade em primeiro lugar, servidores optam por estabilidade, segurança e vida longa.

 

CentOS como Desktop?

 

Posso usar o CentOS como desktop? essa é uma prática muito comum. O CentOS é uma distro estável usada muito para servidores que usa programas/pacotes  liberados ao público pela Red hat. Mas nada o impede de usar o CentOS diariamente para tarefas rotineiras. Vale a pena? essa resposta depende de cada um; ao usar, por exemplo, poderá ter falta de suporte para programas que não sejam para servidor. Quando digo isso, refiro-me à probabilidade de não haver drivers para seu hardware, de não existir versões atualizadas para seus programas ordinários(no sentido de comun 🙂 ). Por outro lado, você ganharia a estabilidade de uma distro voltada para servidor ao usá-la como desktop! você escolhe.

Conforme marcado acima de amarelo, CentOS objetiva ser funcionalmente compatível com a Red Hat e a Red Hat se intitula como Red Hat Enterprise Linux  ou RHEL; negritei o Enterprise por significar empresarial, empreendimento. Veja print abaixo tirada do site da Red Hat:

 

E o Debian?

O Debian é uma outra distro muito usada para ambos os casos(servidor e desktop). É muito usada em servidores devido á sua estabilidade e ter seus programas passados por uma peneira antes de serem liberados.

Na página oficial do Debian não encontrei nenhuma referência ou restrição ao seu uso comum para um ou outro, servidor ou desktop. Pelo contrário, enquanto uma distro para servidor descarta programas ordinários usados no dia a dia e foca apenas  em programas para o meio empresarial, o Debian deixa escancarado que possui mais de 5 mil pacotes, que é um sistema operacional universal, para o seu computador.

A política por trás do Debian o deixa muito estável. Não usei o debian. Não tenho experiência para afirmar se é bom ou não. Só tenho aquilo que a página oficial me garante. Mas os comentários a respeito são ótimos, independente da finalidade para a qual o Debian é usado.

 

Indo contra a Lógica

Resultado de imagem para marcação estrada

 

Um dia ouvir alguém dizer que devemos dá bastante atenção às marcações nas rodovias, obedecê-las. Isso nos livrará da maioria dos acidentes de trânsito.  Essas marcações não são feitas por qualquer pessoa, um engenheiro se preparou anos e anos para projetá-las. Mesmo que pareça algo simples que qualquer um com uma tinta e pincel possa fazer.

Da mesma forma, alguém estudou anos e anos, se preparou e dedica um tempo enorme da sua vida trabalhando em uma distro para um fim específico. Acho que há algo não coerente ao usar uma distro fora da sua finalidade, mesmo que isso não seja impossível!

Tirei esse print da página de download do Ubuntu:

 

Por que que não há apenas uma versão do Ubuntu para ser usada tanto como desktop quanto como servidor? Vemos acima uma versão para cada objetivo.

Se alguém já gastou seu precioso tempo criando uma distro para servidor e outra para desktop por que você nadaria contra  a corrente configurando ou destruindo essa  distro?

Sabe de uma coisa? talvez a maioria das pessoas que faz  isso são do tipo que todo dia troca de distro, não consegue usar apenas uma distro por muito tempo; usuários que usam seus computadores do dia a dia para isso ao invés de testarem as distros em máquinas virtuais.

 

Conclusão

particularmente não usaria e não uso distro de servidor como desktop e nem o contrário. Para começar, nem tenho muito tempo para isso.  Segundo, acho um desrespeito aos desenvolvedores quando uma pessoa faz isso.  Ignorar a finalidade de algo, às vezes, apenas para testes e nada mais não sensato.

 

Siga-nos em nossas redes:

Link Facebook: https://www.facebook.com/gnulinuxbr

Link WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/FXGpqafUWW2FgEa25NtT4l

Link Telegram: https://t.me/gnulinux_brasil

G+: https://plus.google.com/communities/112884163231229355409

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCwyFWDqE0v7SwpZenjmzxYQ

Leitor voraz e um dos administradores do GNU/Linux Brasil no Whatsapp, facebook, youtube e nesse dito site: www.gnulinuxbrasil.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *